Avançar para o conteúdo

Vida desejada

Escolheu a lingerie com todo o cuidado depois o vestido preto, decotado, realçava as formas femininas, as meias de ligas e uns sapatos de salto bem alto.

Escovou os cabelos longos, maquilhou-se com perfeição, sorriu, era uma mulher bonita.

Ao sair olhou para o apartamento luxuoso, imaculado,  de repente lembrou-se que tinha de telefonar aos pais, faziam anos de casados, este ano não podia ir visita-los na aldeia, tinha a agenda cheia.

Viera para Lisboa em busca de uma vida melhor, encontrara uma outra realidade que teve de se adaptar.

Saiu-se bem, era uma das acompanhantes mais caras, tinha sempre clientes, homens mais velhos, ricos que só desejavam uma companhia luxuosa durante umas horas.

Era amante, confidente, e até só companhia para um jantar requintado, gostava da vida que tinha.

Um bom apartamento, carro e noites sempre diferentes, vivia num meio de pessoas interessantes, gente importante.

Recebia muitas ofertas valiosas e gostava disso, os pais pensavam que era secretária numa grande empresa, nunca assumiria que era prostituta de luxo. Não se via assim, achava que era apenas uma boa companhia para homens carentes ou apenas a precisar de uma noite escaldante.

E ela era boa nisso. Nunca se apaixonou nem pretendia, tinha tudo que ambicionava.

Afinal a vida é feita de escolhas, esta era a dela.

0 / 5. Votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este posto.

Partilhar este artigo