Avançar para o conteúdo

Fome emocional – Sintomas e combate

Existem diferentes tipos de fome e é importante aprender a distingui-los para evitar hábitos pouco saudáveis. Se, por um lado, a alimentação pretende satisfazer e satisfazer as necessidades fisiológicas, por outro lado, existem os aspetos emocionais, que incluem o prazer e a sociabilidade.

Afinal, a fome fisiológica é o tempo sem ingestão de alimentos, necessário para o funcionamento do suprimento de calorias e nutrientes necessários ao corpo.

O que é fome emocional?

Ter uma origem diferente, o que se denomina fome emocional tem uma gama muito ampla de motivações. Pode ser desencadeada por comportamentos menos saudáveis, mas ocasionalmente gratificantes ou distúrbios alimentares que requerem acompanhamento clínico específico (anorexia, bulimia, etc.).

A fome emocional é frequentemente associada à ingestão de alimentos ricos em carboidratos simples associados (açúcar) ou com a combinação gordura-sal-crocante, que proporcionam prazer e bem-estar. Esse sentimento dura pouco, no entanto, e uma nova mudança de humor rapidamente se instala, iniciando um círculo vicioso.” Isso é conhecido como mecanismo de recompensa.

Como distinguir a fome fisiológica da fome emocional?

A fome fisiológica ocorre gradualmente quando as necessidades energéticas e nutricionais estão ativas. Pode causar desconforto e estômago vazio, além de causar fraqueza física e dores de cabeça. Não é exigente quanto ao tipo de alimento que come e geralmente se satisfaz com a ingestão consciente e intencional de alimentos.

A fome emocional não depende das necessidades do corpo e surge repentinamente. Não representa desconforto físico e depende do estado emocional, geralmente emoções negativas. Esse tipo de forma leva à ingestão inconsciente de abundantes e é seletiva, ou seja, a pessoa se satisfaz com certos alimentos ricos em açúcar ou com a combinação gordura-sal-crocante. Muitas vezes, cria um sentimento de culpa após comer.

Sintomas de fome emocional

  • Comer para aliviar o stresse ou sentimentos maus.
  • Comer como uma celebração.
  • Comer como uma recompensa.
  • Não conseguir controlar o impulso de comer.
  • Fome repentina diante de uma situação difícil.
  • Comer sem sentir fome fisicamente.
  • Querer comer certos alimentos.
  • Medo de comer.
  • Sentir-se culpado depois de comer
  • Sentir intenso prazer ao comer

Como controlar a fome emocional?

  • Estabeleça e mantenha rotinas de alimentação.
  • Faça refeições completas e balanceadas que promovam a saciedade.
  • Beba bastante água e não confunda sede com apetite.
  • Evite altas alimentos açucarados e use a combinação gordura-sal-crocante em casa. Opte por lanches saudáveis ​​como oleaginosas simples (amêndoas, avelãs, nozes, etc.), frutas, iogurte ou requeijão.
  • Procure distrações alternativas para comer (ler, fazer exercícios, conversar, etc.).
  • Criar Faça listas de compras e evite ir ao supermercado quando estiver com fome e/ou quando estiver mais estressado.
  • Faça exercícios regularmente.
  • Mantenha uma rotina regular de sono, de 6 a 8 horas por noite (adultos). .

Para combater a fome emocional, primeiro é importante perceber que nos deparamos com uma necessidade emocional de comida. O próximo passo é equilibrar o nosso mundo interior, começando por aceitar todas as nossas emoções, identificando-as, expressando-as com clareza e dando-lhes significado. Comer para equilibrar o vazio interior se dissolve e a fome emocional se torna cada vez menos presente.

3.7 / 5. Votos: 13

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este posto.

Partilhar este artigo