Avançar para o conteúdo

A história de Chanel

Génio inovador, paradigma de elegância, ícone de estilo. Coco Chanel mudou o mundo da moda com as suas criações e ideias revolucionárias e a celebramos trazendo detalhes sobre a sua história, os seus valores e as principais curiosidades do seu estilo único.

Gabrielle Bonheur Chanel nasceu em 19 de agosto de 1883 numa família humilde. Após a morte precoce de sua mãe, seu pai enviou a ela e as suas irmãs para o Mosteiro Aubazine, onde ela aprendeu a arte da costura que mais tarde se tornaria uma lenda mundialmente famosa.

Coco Chanel: Um ícone do nosso tempo
Elegância significa conforto e Coco Chanel ofereceu ao mundo um novo modelo feminino que deixaria a sua marca ao longo dos anos: uma mulher dinâmica e trabalhadora que abraçou a moda não conseguia mais reconhecer as roupas constrangedoras da Belle Époque. Quero atrair mulheres ativas; uma mulher ativa tem que se sentir confortável na suas roupas

Coco Chanel é considerada uma das mulheres que mudaram a feminilidade na sociedade e, aliás, também detém o posto de uma das mulheres estilistas que ainda definem o molde para o workwear usado hoje criado por mulheres.

Desta forma, o grande estilista continua a ser um ícone muito atual e inspirador. Além disso, também não é novidade que Chanel sempre promoveu a liberdade feminina e usou o design das suas roupas para enfatizar o seu espírito libertário. O mundo da moda é também um lugar de afirmação e renovação!

Luxo e pobreza não eram opostos Para a estilista Chanel, Chanel é considerada a rainha do gênero pauvre e defendeu que o luxo não é o oposto da pobreza, mas uma forma de combater a vulgaridade. Para ela, a simplicidade pode ser chique e sofisticada e uma da suas máximas era: antes de sair de casa, a dama deve se olhar no espelho e tirar um acessório.

A estilista ainda disse: Elegância é tudo que é bonito, seja na direita ou atrás. Chanel não achava os babados exagerados das roupas da época elegantes, assim como não apreciava a decoração exagerada de chapéus, por exemplo. O seu pensamento e estilo revolucionários trabalharam ainda mais para livrar a si mesmo e às pessoas desse tipo de visual. O que levou as suas roupas e ideias a influenciar toda a Europa.

A combinação de preto e branco é a mistura perfeita entre duas belezas absolutas. Se naquela época o preto era associado ao luto, a Chanel o inovou novamente, transformando-o numa cor elegante e sensual adequada para qualquer ocasião.

Outra mudança relevante no mundo da moda foram os chapéus Coco Chanel. Em 1912, os seus produtos tornaram-se famosos entre as mulheres mais exigentes da França. Ao contrário do estilo usual de chapéu da época. Coco substituiu a composição repleta de informações deste arnês por chapéus com detalhes mais simples e refinados.

Coco Chanel: Mais que uma estilista, uma observadora da realidade
O trabalho de Chanel foi fortemente influenciado pelos estágios da sua vida pessoal e pelas pessoas que conheceu ao longo da sua vida. A austeridade das cores reflete a simplicidade da vida monástica, que ela observou de perto durante os seus anos no orfanato.

A sua paixão pelos deportes equestres foi o ponto de partida para a criação de calças femininas e os seus famosos chapéus de palha, assim como os anos de Deauville foram inspiração para a criação de blusas de gola.

Um fato interessante é que a Chanel desenvolveu a gargantilha de uma forma muito estranha e especulativa. Quando ela estava com frio no resort de Deauville, Chanel pegou uma blusa velha do seu então namorado. Pelo contrário, em vez de usar a roupa por cima da cabeça, optou por abrir a frente e assim criar uma espécie de gola.

Com pedaços de malha, Coco improvisou um cinto e trouxe bolsos generosos a uma altura em que as mãos podiam ficar cheias de conforto. Surpreendentemente, uma vez que o estilista apareceu com esse visual, foi possível vender mais 10 modelos exatamente iguais.

Acessórios e batom vermelho: sofisticação para a mulher moderna
Quando falamos de acessórios, estávamos a falar de Coco Chanel. Finalmente, ela rompeu novamente com a tradição, inventando joias imaginárias feitas de metal e pedras semipreciosas: colares, pulseiras e brincos tornaram-se os amigos inseparáveis ​​da mulher moderna.

Assim, Chanel conseguiu literalmente popularizar o seu próprio estilo. Ela se diferenciava das mulheres da época por ter cabelos muito curtos, que na época eram usados ​​apenas por atrizes.

Não só isso, ela também popularizou as calças femininas, incluiu-as em coleções, usou-as e incentivou outras mulheres a usá-las também. Como a própria estilista disse, luxo só é luxo quando é confortável. Desta forma, foi uma missão muito importante influenciar outras senhoras com vestidos mais leves e subtis.

A maquilhagem também teve um papel importante na emancipação das mulheres e o batom vermelho era um must-have para a Chanel. Ainda nas palavras dos estilistas: se estiver triste, passe mais batom.

Segundo Coco Chanel, o perfume é um acessório fundamental e inesquecível que nos permite reviver memórias. É por isso que ela dedicou tanta atenção ao seu icónico perfume N°5, lançado em 1921.

Aliás, o estúdio de designers foi fechado durante a Segunda Guerra Mundial, mas a sua loja na rue Cambon permaneceu aberta. Tal era o sucesso de Coco Chanel que mesmo em tempos de guerra e diante de grande frenesi social e económico, soldados americanos faziam fila para ver o famoso, Chanel nº 5 para enviar para suas mães e esposas nos Estados Unidos.

E assim, mesmo em tempos de guerra e diante de tantas mudanças que ocorreram nessas décadas, a Chanel manteve-se firme.

As sensibilidades, valores e estilo de Coco Chanel continuam a influenciar profundamente o mundo da moda e a nossa sociedade. Mesmo nas décadas após a sua morte em 1971, a estilista tornou-se um símbolo do estilo feminino. A moda sai de moda, só o estilo permanece.

4.2 / 5. Votos: 17

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este posto.

Partilhar este artigo