Avançar para o conteúdo

Regresso

Ia sentada, olhava pela janela sem ver realmente, a paisagem que passava rápido

Ouvia os ruídos e murmúrios de outras pessoas.

Conforme o comboio avançava, o coração ficava mais pequeno, não queria regressar.

Quando saiu da aldeia pequena onde toda a gente a conhecia, jurou não voltar.

Não prevemos o futuro, ás vezes não sai como gostaríamos, foi obrigada a voltar.

Com o orgulho ferido, coração partido e a alma sofrida.

Chegou, os pais receberam-na com um abraço apertado, um sorriso do tamanho do mundo.

Afinal era bom regressar.

0 / 5. Votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este posto.

Partilhar este artigo