Avançar para o conteúdo

A sorrir

Sorria ao chegar ao aeroporto, sentia o coração aos saltos, andava de passo apressado, ia ver a família, que saudades dos beijos da mãe, do aconchego dos braços do pai.

Quando foi para longe nunca imaginou que o tempo não passasse, que os dias não tinham fim, que as horas e minutos para encontrar os seus contavam tanto. Desejava o Natal o ano inteiro, era quando via os que amava.

Sentia-se leve, feliz, tola e criança.

Quando os viu, largou tudo, a sorrir correu para o conforto dos braços do pai, dos beijos e carinhos da mãe.

Finalmente estava em casa.

0 / 5. Votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este posto.

Partilhar este artigo